NEWSLETTER

Marmitex: dicas para trabalhar com a venda de marmitas e realizar parcerias

Não é de hoje que a comercialização de marmitex se mostra como uma oportunidade e tanto para empreendedores no setor de alimentação. 

Segundo dados do Portal do Empreendedor, a atividade – sob o CNAE “Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar” – é a sexta com o maior número de optantes no MEI. Em 2014, haviam 102,1 mil microempreendimentos nessa área. Hoje, mais de 252,5 mil empresários atuam com a venda de marmitas.

Então, fica claro que oferecer marmitex pode ser uma ótima ideia de negócio para microempreendedores individuais e profissionais autônomos!

A seguir, apresentamos algumas dicas para empresários que estão querendo adaptar suas operações para atuar com a venda de marmitas e também para quem está pensando em começar a montar quentinhas para vender. 

Neste artigo, você vai aprender:

– Dicas fundamentais para quem deseja atuar com a venda de marmitas;
– Ações de marketing para divulgar suas quentinhas;
– Como desenvolver parcerias para aprimorar as operações de comercialização de marmitex. 

Bons estudos e bons negócios!

6 dicas para começar a vender marmitex

Seja você um empresário que já atua no setor de food service ou mesmo um empreendedor que está pensando em começar a vender marmitas, antes de sair montando suas quentinhas, você precisa colocar em prática estas seis ações para quem quer começar a vender e entregar marmitex:

1) Desenvolva um plano de negócio

Plano de negócios para vender marmitex

Esse é um passo crucial em qualquer tipo de nova empreitada – seja uma adaptação do serviço ou o início de um empreendimento. Afinal, o plano de negócio serve para você colocar no papel as ideias que tem em mente e também para que consiga entender como pode efetivamente fazer essas ideias acontecerem na prática. 

Ou seja, esse documento vai ser basicamente o guia para todas as suas ações futuras nesse empreendimento de venda de marmitas. Portanto, ele deve conter informações como, por exemplo:

– Os tipos de quentinhas que você irá oferecer;
– Quais são seus diferenciais;
– Os públicos-alvo do seu negócio;
– De que maneiras você poderá oferecer seus produtos;
– Como você poderá se comunicar com os clientes e promover seu negócio;
– O que você precisa (em termos de estrutura e capital) para montar e manter o seu empreendimento;
– Quem são os parceiros que poderiam apoiá-lo nessa missão (fornecedores – olha o Roldão aí! –, possíveis sócios, Sebrae etc.);
– Quais serão suas principais fontes de receita – e os seus principais custos. 

➔ Em uma página especial, o Sebrae listou informações importantes sobre como desenvolver esse planejamento para a venda de marmitas. Clique aqui e confira.

➔ E para saber mais sobre a relevância dos primeiros passos na construção de um empreendimento, leia este artigo: Como empreender com sucesso como MEI ou autônomo

2) Defina o cardápio e o modelo das suas marmitex

Defina o cardápio e o modelo da marmitex

Qual é o tipo de marmita que você deseja oferecer? Qual é o público que pretende atender? Essas definições vão direcionar os ingredientes utilizados e o seu cardápio como um todo.

Neste sentido, estas são algumas possibilidades que você pode cogitar:

Marmitex saudáveis

Focadas em uma alimentação mais nutritiva e saudável, com bastante verduras, legumes, grãos, opções veganas e vegetarianas e carnes magras.

Marmitex funcionais

Com opções que atendem a restrições alimentares e também a necessidades específicas – como, por exemplo: marmitex vegana, marmitex sem glúten, marmitas “maromba” (para quem faz academia).

Marmitex temáticas

Focadas em um tipo de alimento, com poucas variações. Neste caso, você pode, por exemplo, oferecer marmitas de:

– Pastas; 
– Lasanhas; 
– Pratos feitos; 
– Churrasco; 
– Comidas étnicas (italiana, árabe, japonesa etc). 

Marmitex congeladas

Este é um ótimo tipo de marmita para quem deseja comprar uma grande quantidade de alimento e esquentar durante a semana, por exemplo. Nesse caso, o cardápio deve girar em torno de alimentos que reagem bem ao congelamento e ao aquecimento.

Além disso, caso você queira adaptar o seu negócio já existente, deve avaliar se é possível simplesmente colocar o seu produto em uma embalagem. Afinal, é muito provável que tenha que fazer algumas adaptações para poder operar por meio de marmitas.

Digamos, por exemplo, que você venda cachorro-quente. Então, não dá para montar um dogão completo e imaginar que ele vai chegar intacto, certo? Portanto, que tal criar uma marmita em que você coloca os itens separadamente: o pão; a salsicha; o molho e os condimentos extras solicitados pelo cliente? Assim, ele receberá a quentinha organizada e poderá montar o hot dog em casa!

Leia também!

Como oferecer delivery de comida – dicas para pequenos negócios se adaptarem ao isolamento social

3) Escolha as embalagens mais adequadas

Escolha as embalagens mais adequadas para suas marmitex

Sabendo qual é o tipo de cardápio que vai oferecer, é hora de pensar sobre como vai organizar sua marmita. O tipo de embalagem utilizada deve levar em conta os tipos de alimentos que sua marmitex terá.

Entre as principais funções das embalagens para alimentos destacam-se:

🍱 Garantia de qualidade dos alimentos. A função primordial das embalagens é proteger e conservar os alimentos, garantindo que eles tenham alta qualidade e salubridade quando chegarem ao consumidor final.

🌯 Promoção de uma experiência positiva ao cliente. Uma embalagem adequada faz com que, quando o cliente tenha contato com o alimento, ele tenha uma experiência positiva, que os itens estejam organizados, com um visual adequado e sejam fáceis de consumir.

🥡 Fortalecimento da credibilidade da empresa. Quando a empresa oferece embalagens de qualidade, que garantem segurança alimentar e uma boa experiência, isso fortalece a imagem da marca e influencia positivamente a percepção do cliente.

🍟 Ferramenta de marketing. A embalagem também pode ser utilizada como ferramenta de marketing e branding, já que pode trazer a identidade visual da empresa e ter elementos alinhados aos valores do negócio, tais como sustentabilidade e inovação. Portanto, você precisa levar em conta seu objetivo em termos de branding na hora de definir quais embalagens utilizará.

Além disso, é importante escolher embalagens que:

– Permitam separar diferentes tipos de alimentos (por exemplo: saladas de alimentos quentes);
– Ajudem a conservar a temperatura ideal para o consumo da marmita;
– Sejam seguras e eficientes, garantindo que sua quentinha permaneça intacta durante o transporte. 

Leia também!

Saiba mais sobre o que levar em consideração na hora de escolher a embalagem para suas marmitex lendo este artigo: Embalagens para alimentos: como escolher a melhor opção para o seu produto

4) Selecione os fornecedores com o melhor custo-benefício

Selecione os fornecedores com o melhor custo-benefício

É importante ter fornecedores que o ajudem a ter uma operação de qualidade e sustentável. Para isso, é importante escolher fornecedores – de alimentos, de embalagens, de equipamentos e de outros recursos – que tenham credibilidade no mercado e nos quais você pode confiar no longo prazo. 

Para abastecer seu estoque de alimentos, você pode contar com Roldão Atacadista como seu parceiro!

Temos mais de 19 anos de experiência no fornecimento de alimentos para micro, pequenos e grandes negócios de food service. Em nossas lojas, você encontra tudo o que precisa para montar suas marmitas, com os melhores preços.

Leia também!

Gestão de compras: dicas para fazer compras eficientes em fornecedores de alimentos

5) Defina os métodos de pedido e entrega

Defina os métodos de pedido e entrega das suas marmitex

Como você vai vender suas marmitas? Como os clientes poderão fazer pedidos? Nesse momento de quarentena, a coleta de marmitex está fora de cogitação, mas é algo para o qual você pode se preparar para o futuro. 

Por enquanto, você precisa definir como será seu método de delivery.

Estas são algumas opções de canais:

a) Aplicativos de delivery – como, por exemplo Uber, Rappi, iFood etc.

Essas ferramentas são muito práticas e ajudam a expor seu negócio em sua região justamente para consumidores que estão em busca de delivery de comida. Porém, elas possuem uma taxa de serviço para cada entrega. Verifique como isso pode afetar seu orçamento e seu preço.

b) Aplicativos de mensagem – WhatsApp, Facebook Messenger, Telegram

Esses canais são uma forma prática e barata de receber o pedido dos consumidores. Contudo, para que funcionem, você precisará divulgar seu contato entre seus clientes e em outros canais digitais, como anúncios web e nas redes sociais.

c) O bom e velho telefone

Muita gente ainda prefere ligar para fazer o pedido de comida. Se você oferecer um número para receber os pedidos, vai atender a demanda desse público mais tradicional. No entanto, assim como o contato dos aplicativos de mensagem, você também precisará divulgar seu telefone.

Já em relação às opções de modelo de entrega, existem dois caminhos, que vão estar diretamente relacionados também aos canais que você escolheu para a realização de pedido.

– Se escolher os aplicativos, vai contar com uma rede de entregadores freelancers para fazer a entrega dos seus produtos.
– Se optar por receber pedidos em outros canais online ou por telefone, vai precisar de um ou mais entregadores para fazer seu delivery.

Abaixo, confira uma tabela com informações que o ajudarão a direcionar sua decisão:

Infográfico delivery de comida

Por último, mas não menos importante, escolha com cuidado sua equipe de entregadores, para garantir que eles sejam bons profissionais e cuidem não apenas da higiene, mas também respeitem os horários de entrega e garantam que seus clientes tenham uma boa impressão dos seus serviços como um todo.

6) Controle preços e custos

Controle preços e custos da sua operação de marmitex

Ao montar sua operação para vender marmitas, é importante estabelecer certos padrões para garantir a sustentabilidade do seu negócio. Afinal, se você não tiver controle sobre a quantidade e a frequência de utilização dos ingredientes, poderá perder o controle dos gastos e, com isso, errar na precificação e acabar no prejuízo.

Aqui vão algumas dicas importantes nesse sentido:

a) Defina padrões de quantidades e de pesos dos alimentos oferecidos em sua marmita

Além de garantir que seus clientes recebam igualmente sempre os mesmo pratos, isso vai evitar que você acabe desperdiçando alimentos ou colocando mais do que a quantidade base para a qual estabeleceu seu preço.

Leia também!

Precificação: guia prático para MEI e autônomos do setor de food service

b) Crie com antecedência um cronograma mensal de cardápios

Isso vai ajudá-lo a se preparar melhor em relação à compra dos ingredientes necessários. Além de poder comprar as quantidades exatas e com mais tempo, você poderá se planejar para aproveitar possíveis promoções e produtos da época. 

Leia também!

Como usar a sazonalidade de frutas e verduras a favor do seu negócio

Como fazer parcerias para expandir seu cardápio e operação de venda de marmitex

Sabe aquele ditado que diz que “a união faz a força”? Ele pode ser utilizado a favor de micro e pequenos negócios. 

Uma ideia interessante para potencializar suas vendas de marmitex é fazer parceria com outros empreendedores para que, juntos, possam ganhar mais espaço no mercado e conquistar mais clientes!

Neste sentido, você pode, por exemplo, fazer parcerias com outros negócios que vendem marmitas para criar um cardápio conjunto. Nessa parceria, são unidos os pontos fortes de cada empresa para atrair a atenção do público. 

Na prática!

Uma empresa de marmita de comidas funcionais pode, por exemplo, aliar-se a uma empresa de marmitas veganas para criarem uma marmitex especial em conjunto. Afinal, ambas possuem clientes preocupados em ter uma alimentação saudável e balanceada, e podem sair ganhando com essa união!

Outra ideia é fazer parceria com outros pequenos negócios para comprar espaços de mídia para divulgação ou mesmo comprar embalagens ou outros recursos. Com a compra em conjunta, em maior quantidade, esses pequenos negócios conseguirão negociar um preço muito melhor do que se estivessem comprando individualmente.

Além disso, outra forma de parceria que pode render mais faturamento na venda de marmitas é a união de empresas para bancar entregadores exclusivos. Mesmo que os aplicativos de entrega sejam práticos, muitos pequenos negócios não conseguem arcar com as taxas cobradas por esses serviços. Se você se unir a outros negócios que vendem marmitas, podem conseguir pagar um entregador para dar conta da demanda dos parceiros. 

Dica extra! 
Ações de marketing para vender marmitex 

Estas são algumas ações de marketing que ajudarão a destacar seu negócio de marmitex em sua região e na web:

– Divulgue seu serviço de delivery nas redes sociais;
– Espalhe cartazes em sua região;
– Se possível, esteja presente em aplicativos de delivery;
– Crie um programa de fidelidade. 

Quer aprender mais sobre cada uma dessas ações? Leia este artigo: Marketing para delivery: como negócios de food service podem divulgar seus serviços de entrega em domicílio

Ao trabalho. E sucesso na venda de marmitas!

Imagens: Envato Elements

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One comment on “Marmitex: dicas para trabalhar com a venda de marmitas e realizar parcerias”

VEJA TAMBÉM

Nenhum artigo relacionado encontrado.

Nenhum artigo relacionado encontrado.

Nenhum artigo relacionado encontrado.

Cadastre-se e receba conteúdo exclusivo para você, sua casa ou seu negócio.

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram